About the Artist

With over 300 Recorded Songs with major labels during his career, some of his music and lyrics have deeply touched listeners through the years. This is what a man by the name of Augusto had to say:

"Mr. Gouveia, do you remember a letter I sent you while I was in Angola and I asked you if I could buy the song "Canção de um Soldado," record ? ...Not only you sent me that record but also 2 others. I loved that song, my mother had just died and that song I have never forgotten."

Thank you.
Augusto - 2008

No Alcach bar Alcochete
Pedro said:
"Um dia eu estava no café Alcach em Alcochete e no grande ecrã de televisão eu vi uma intervista com você. Cada um no Alcach estava assistindo. Você começou a cantar a canção sobre Alcochete ... a parte de ser a terra de minha mãe me fez chorar ... foi lindo."

Pedro - 2008

Francisco Gouveia also wrote songs for various artist that help them gain global popularity. One that comes to mind is Maria Albertina. The song Avé-Maria do Coração (duet) that Francisco Gouveiawrote for her was a hit record through out Portuguese communities worldwide. Other Hit records that followed of songs he wrote for Maria Albertina were

Santa Luzia, Senhora do Sameiro. Esticadinho. São João Maroteiro, Linda Romeira, Ai Ele Toca e toca bem, Ceifeira do Campo, Linda Viana, Senhora de Matosinhos. 

Francisco Gouveia's passion for Portugal is reflected in his songs. Most of his lyrics and song themes were dedicated to Portugal and real life experiences. His mother Ana Rita Bolota was from Alcochete, this would explain his love for the Campino way of life. In his youth, he spent a lot of time in and around Alcochete playing at the local Bombeiros and other Festivals. He wrote the popular *Vira De Alcochete* song in 1960 for Alvorada recording label performed by a duet. Even today this song is played at festivals and radio. Any of the old generation Alcochete residents can sing this song for you. This was early in his long artistic recording career that followed. A special salute to the Bolota Family in memory of his cousin Gregório Bolota.

His band Conjunto Tipico Francisco Gouveia was born out of an idea from one of his friends at a record label office one day. His friend told him, "Chico, you write many great songs, why don't you form your own band?".  Francisco Gouveia is a master of the button accordian. He also plays other various instruments, saxophone, harmonica, clarinet and more. With his Conjunto Tipico he plays the accordian because it fit the style of music best.

 


 

Portuguese:

Francisco Gouveia nasceu em Lisboa em finais dos anos trinta numa familia já com tradições musicais. O pai tocava vários instrumentos e chegou mesmo a pertencer a umas tantas Bandas Filarmónicas. Aos 16 anos por encorajamento familiar começou a aprender música e aos vinte anos pertencia à Banda da Incrível Almadense onde tocava saxofone alto.

Depois mudou-se para o clarinete e tocou na Banda da Sociedade Filarmónica Alunos de Apolo. Por essa altura começou a compor assiduamente e em 1960 registava as suas primeiras músicas na Sociedade Portuguesa de Autores. Resolve tirar o curso de acordeonista, instrumento que veio a influenciar toda a sua vida futura. Começou por ser músico de acompanhamento de vários artistas de renome como Maria Amélia Canossa,Tristão da Silva e Maria de Lurdes Resende.
Numa das suas idas ao Porto tem a oportunidade de compor e acompanhar o cantor Claudio José e é nesta cidade que grava o seu primeiro disco para a Fábrica de Discos Rádio Triunfo.


Em 1962 é contactado para entrar na formação de um novo conjunto de Ermesinde: o Conjunto Maria Albertina. "Avé-Maria do Coração" foi o grande êxito da sua autoria gravado pelo colectivo do qual ainda fez parte.
Mas Francisco Gouveia desejava ter o seu próprio Conjunto, facto que veio a acontecer ainda no inicio dos anos sessenta. O primeiro 45rpm saiu na etiqueta Melodia com a designação de Conjunto Tipico Francisco Gouveia e numa formação que se manteve sempre constante. Durante alguns anos o Conjunto percorreu o país actuando desde a Casa Tipica ao Coliseu dos Recreios alcançando bastante popularidade. Chegaram mesmo a ser contratados pelo afamado Hotel Estoril Sol para animar e dar as boas-vindas aos turistas que nos visitavam.


A primeira internacionalização dá-se em 1966 com o convite para actuarem no Festival de Aranda do Douro e com o sucesso gravam para a editora espanhola Marfer. No ano seguinte vão actuar pela primeira vez para a comunidade portuguesa radicada em New Bedford nos EUA. Em 1970 editam o polémico registo "Canção de Um Soldado" pela etiqueta Alvorada que bate recordes do grupo com as vendas a atingirem as 300 mil unidades. Mas o regime vigente não aprova o conteúdo da letra suspendendo a sua comerciliazação e passagem radiofónica.


Em 1971 voltam de novo aos Estados Unidos da América e também ao Canadá actuando para as comunidades portuguesas. É neste país que o Conjunto Francisco Gouveia se estabelece definitivamente em 1972. Surge a etiqueta Gouveia Records que vai editando com sucesso os mais recentes discos no novo continente.

O Conjunto teve um especial carinho pela comunidade açoriana, facto que se traduziu em muitas musicas com referência aos Açores. E não foram eles raras vezes confundidos como artistas insulares.
Os acontecimentos do 25 de Abril de 1974 vistos por quem estava emigrado foram também os mais focados e que levaram o Conjunto Francisco Gouveia a ser um dos grupos mais intervenientes na música ligeira portuguesa de raiz popular.

Edição original Discos Rapsódia. EP usado e em muito bom estado. Disco/ Capa (EX/ EX).

Credit: Francisco J. Fonseca